sábado, 15 de outubro de 2011

ARTIGO - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL SIGNIFICATIVA

ARTIGO - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL SIGNIFICATIVA

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL SIGNIFICATIVA

Vera Lúcia Pereira de Souza1
Loraine Alcântara2 

Resumo 
O trabalho pedagógico com alunos que apresentam deficiência intelectual significativa compreende o desenvolvimento do indivíduo em sua totalidade, desde a interação social, exploração das potencialidades cognitivas e o aspecto emocional. A partir desse pressuposto desenvolveu-se um aprofundamento teórico acerca do tema, com pesquisa exploratória e descritiva. Assim, este trabalho tem como finalidade relatar as atividades desenvolvidas durante a participação no PDE - Programa de Desenvolvimento da Educação, Turma 2009, numa escola de Educação Especial do município de Nova Aurora. O relato apresenta fundamentação teórica condizente com a área e descreve as atuações desencadeadas durante a intervenção pedagógica em que se buscou compreender os desafios presentes na Escola Especial para a efetivação das Oficinas Pedagógicas para alunos com deficiência intelectual. Foram realizadas, com professores e alunos das Oficinas Pedagógicas, atividades relacionadas ao mundo do trabalho, visando compreender como se dão as relações entre professores, alunos com deficiência intelectual e pais. Realizou-se Grupos de Estudos em que participaram professores das Oficinas Pedagógicas, coordenadores pedagógicos, instrutor das Oficinas Pedagógicas, zeladoras, secretária e diretora, todos pertencentes à Escola Especial, com o propósito de refletir e aprofundar os conhecimentos sobre a Educação Profissional para alunos com deficiência intelectual significativa. Verifica-se que há limites para a efetivação de algumas atividades nas Oficinas Pedagógicas, mas, ao invés de se investir no ensino de uma atividade profissional peculiar, esta acaba se tornando uma atividade-meio para o ensino das competências e habilidades básicas. Portanto, ao planejar um programa de habilitação profissional, deve-se atentar para um planejamento curricular que possibilite o pleno desenvolvimento da pessoa com deficiência intelectual como ser humano.