sexta-feira, 9 de maio de 2014

Trabalho obrigado e Escravo

Olá pessoal!
Como vão?
Tudo bem?
Infelizmente o trabalho obrigado e a escravidão por dívidas não permaneceram só no passado; podem ser achados nos garimpos, nos seringais, nos desmatamentos, na produção de carvão, em indústrias de vestuário, em fábricas de CDs piratas. 

São frutos do lucro acentuado, da omissão, da impunidade.

A demanda social, por meio da desigualdade social gritante, da falta de empregos, da política deficiente de reforma agrária, instiga o monopólio do trabalhador hipossuficiente.

Segundo várias reportagens, matérias impressas em jornais e revistas, o aliciamento dos trabalhadores é feito com promessa de garantia de assistência médica, contrato, bons ordenados, condução e dinheiro para o entretenimento. 

Começando a dívida do trabalhador, o “gato” já providencia o alimento, o transporte; não raro é deixado um adiantamento para a família do trabalhador, valor que não alcança um salário-mínimo.

Acredito que é preciso dar maior consciência à população da existência dessa prática; campanhas de informação ao público precisariam ser instituídas conjuntamente pelo governo, sindicatos, mídia, entidades não governamentais.

É inadmissível o prosseguimento de uma prática que fere o nosso sistema democrático, e, especialmente, a dignidade do ser humano.

Um grande abraço e que Cristo continue nos iluminando e habitando os nossos corações...

Verinha

Material de Apoio:

Neste link: <http://reporterbrasil.org.br/2013/03/fiscais-flagram-escravidao-envolvendo-grupo-que-representa-a-gap-no-brasil/> tem dados muito interessantes sobre o trabalho Boliviano no nosso país Brasil.
Postar um comentário