sábado, 14 de maio de 2011

CURSO DE MÍDIAS INTEGRADA NA EDUCAÇÃO - TRABALHO FINAL


CURSO MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO


TRABALHO FINAL

1 MÍDIAS EDUCACIONAIS PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E/OU MÚLTIPLA DEFICIÊNCIA E TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO

- Nome dos autores
              Carlos Eduardo Ortega
              Vera Lúcia Pereira de Souza

- Contextualização
            O Projeto “Mídias Educacionais para Alunos com Deficiência Intelectual e/ou Múltipla Deficiência” abordará a implementação dos jogos e atividades educativas computadorizadas como intermediários para a aprendizagem nas deficiências intelectuais e/ou múltiplas, por terem como uma de seus fundamentais benefícios um grande potencial para o procedimento de ensino e também despertarem facilmente o interesse e a curiosidade dos alunos especiais.
            Os softwares e os programas da sala de computação desenvolvem a observação, linguagem, criatividade e imaginação; exercitam a percepção visual e auditiva, coordenação motora e memorização; promovem a comunicação, o intercâmbio e o desenvolvimento cognitivo dos alunos e estimulam as percepções viso-espacial, temporal-espacial, adequação emocional e socialização.
            A meta deste projeto é um melhor emprego dos recursos tecnológicos para promover as habilidades computacionais, dando maior acessibilidade e neutralizando os obstáculos que os alunos com deficiência deparam para aquisição de uma possibilidade rica de aprendizagem.
            Este é um trabalho idealizado pela professora Vera Lúcia, Professora PDE/2009 e também coordenadora pedagógica da Escola Especial, que é graduada em Ciências com habilitação em matemática para Ensino Fundamental e Médio, Pós-Graduada em: Profissionalização da Pessoa Portadora de Deficiência Mental, Psicopedagogia Clínica e Institucional e Magistério Superior e em parceria com o professor Carlos Eduardo Ortega que é coordenador do curso técnico em Informática do Colégio Malvino de Oliveira em Porecatu, formado em Processamento de Dados, com especialização em Informática na Educação, trabalha com informática educacional com o software de autoria Visual Class, desenvolvimento de sites e projetos de inclusão digital em parceria com a UEL e Microsoft Educação.
            A Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer” tem como missão promover e articular ações de defesa de direitos, prevenção, orientação, prestação de serviços e apoio às famílias, direcionadas à melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência e à construção de uma sociedade justa e solidária. A escola conta com aproximadamente cento e vinte alunos sendo freqüentes nos períodos do matutino e vespertino.
            A Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer” preza muito a qualidade dos atendimentos oferecidos aos alunos e está preocupada em aprimorar seu atendimento às Novas Tecnologias Digitais como novas formas de aprendizagem.
            A sala de computação é uma dessas formas mediadoras de auxiliar os alunos com deficiência intelectual e/ou múltiplas na aprendizagem, especialmente na comunicação verbal e escrita, promovendo a inclusão escolar e social.
            Faz-se imprescindível apresentar um maior número de alternativas de hardwares, softwares e de equipamentos indispensáveis que promovam o ingresso de todos os alunos na era da Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs).

- Público envolvido
              Alunos matriculados na Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer”, professores, coordenadoras pedagógicas, equipe multiprofissional e direção.

- Integração
              Integração das mídias educacionais em todas as disciplinas trabalhadas na Escola Especial.

- Período de realização do projeto
              Durante o período letivo de 2011.

2 PROBLEMA

              “Como envolver toda a equipe pedagógica, equipe multiprofissional e alunos especiais em trabalho cooperativo, mediante um projeto de uso integrado das mídias impresso, TV pendrive e informática, caracterizado pela co-autoria e que possa ser utilizado como estratégia de ensino e de aprendizagem?”

3 ABORDAGEM PEDAGÓGICA

            As tecnologias assistivas, podem ser entendidas como um instrumento de promoção de inclusão: a carência de tais recursos pode afetar, por exemplo, o desempenho de alunos com deficiência, pois auxiliam na superação de dificuldades operacionais para o cumprimento de atividades dentro da rotina escolar.
            As tecnologias digitais têm beneficiado os alunos da Escola Especial, por meio da ludicidade, diagnósticos de várias potencialidades particulares de cada aluno e os registros apresentados enfatizam as habilidades adquiridas não só no manejo do computador como ao mesmo tempo no progresso da linguagem verbal, escrita e matemática.
            A atividade lúdica no computador avigora a importância do meio alternativo de comunicação, beneficiando ainda a capacidade de prender a atenção dos alunos e cooperar com o método pelo qual os mesmos enriquecem o senso de responsabilidade e desenvolve a sua auto-expressão.
            A presença dos computadores na sociedade atual modifica a escola num segmento adequado para a inserção da tecnologia, ensejando pesquisas que pesquise cibernética e educação, considerando que cada vez mais os espaços escolares estão mediados pela relação homem-máquina. Nesse argumento as tecnologias cognitivas, segundo Baranauskas (1993), tornam-se importantes elementos de mediação e de mudança da prática pedagógica convencional, procurando resgatar para a escola o uso da inteligência como origem e fonte do processo de conhecimento.
            A tecnologia por si mesma não representa garantia de reestruturações lógicas, ainda que possa exercer importante apelo quanto à motivação. Sua importância maior incide em que se possam empregar os computadores como próteses e como amplificadores da cognição. (BATTRO, 1989).
            Os problemas de aprendizagem podem ser auxiliados com os softwares, jogos e outras atividades preparadas que incentivam o desenvolvimento da inteligência e potencializa a aprendizagem como um todo. Os jogos propiciam aos alunos um relacionamento íntimo com o conhecimento por meio de um trabalho no qual estão agregados o lúdico, o figurado e o operatório.
            JONASSEN (1996) considera a aprendizagem em:
            - Aprender a partir da tecnologia, em que a tecnologia proporciona o conhecimento, e a função do aluno é receber esse conhecimento, como se ele fosse apresentado pelo próprio professor;
            - Aprender acerca da tecnologia, em que a própria tecnologia é elemento de aprendizagem;
            - Aprender através da tecnologia, em que o aluno estuda ensinando o computador (programando o computador por meio de linguagens como BASIC ou o LOGO);
            - Aprender com a tecnologia, em que o aluno aprende empregando as tecnologias como ferramentas que o apóiam no processo de reflexão e de construção do conhecimento (ferramentas cognitivas). Nesse episódio a questão categórica não é a tecnologia em si mesma, mas a forma de encarar essa mesma tecnologia, usando-a, especialmente, como estratégia cognitiva de aprendizagem.
            Marçal (1996) destaca que a Informática precisa capacitar e dar oportunidade ao aluno de adquirir novos conhecimentos, promover o processo ensino/aprendizagem, por fim ser um complemento de conteúdos curriculares apontando para o desenvolvimento global do indivíduo.
            Os jogos são formas que podem ser empregadas para se trabalhar o pedagógico com os alunos, para que os professores possam contextualizar os conteúdos e mesmo modos da vida diária. Para eles o fato de estarem de forma responsável dentro de um espaço que não seja a sala de aula cotidiana, mais que proporcionem a eles o lúdico e o prazer, promove o procedimento de aprendizagem.

3.1 Mídias a serem utilizadas:
              Softwares educativos, com jogos e atividades interativas; Aparelhos de DVD e filmes em DVD; Revistas, jornais e livros; Pesquisas na Internet; TV pen drive; CDs.

4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

               Este projeto tem um caráter interdisciplinar, cuja especialidade se baseia na filosofia que reconhece e valoriza a heterogeneidade como particularidades inerente á constituição de qualquer sociedade.
              Serão incluídas as seguintes disciplinas:
              - Musicalização, Histórias, Artes, Matemática, Ciências, Português.
              Serão atendidas na sala de computação as seguintes modalidades de Ensino:
              - Educação Infantil: 4 a 5 anos
              - Ensino Fundamental - período manhã/tarde: 6 a 14 anos
              - Projeto Pedagógico Específico: 14 anos
              - EJA (Escolarização de Jovens e Adultos): a partir de 14 anos
              - Educação Profissional: alunos que freqüentam as oficinas de Iniciação Profissional.
              A preocupação da Escola Especial “Novo Amanhecer” com a ampliação e adequação da sala de computação segue no entendimento de que existe a necessidade de atender “a todos os alunos” da escola.

4.1 Resultados esperados:
              - Favorecimento da produção e da utilização das múltiplas linguagens das expressões e dos conhecimentos históricos, sociais, científicos e tecnológicos;
              - Sustentabilidade do processo inclusivo, mediante aprendizagem cooperativa em sala de aula aos alunos com deficiência intelectual e múltipla deficiência, trabalho em equipe na Escola Especial e constituição de redes de apoio, com a participação da família no processo educativo, bem como a equipe multidisciplinar e recursos da comunidade.
             
4.2 Período de Realização:
ATIVIDADES
Ano Letivo de 2011
FEV
MAR
ABR
MAIO
JUN
AGO
SET
OUT
NOV
01
- Revisão do Projeto e Reunião com Equipe Pedagógica da Escola Especial;
- Preparação para início das Atividades do Projeto (revisão de todo material e verificação do espaço físico que será implementado o Projeto).
- Durante 02 aulas por mês no período vespertino.

X
X
X






02
- Com o Público Alvo;
- Apresentação da Equipe do Projeto para professora de computação;
- Palestra e Dinâmicas;
- Durante 03 aulas por mês no período vespertino.



X







03
- Apresentação e Aplicação do Plano de Aulas para professora de Computação e professores de sala de aula;
- Durante 03 aulas por mês no período vespertino.



X
X





04
- Implementação do Projeto na Escola Especial;
- Durante 15 aulas por mês no período vespertino;




X
X
X
X
X

05
Avaliação:
- Equipe do Projeto fará Avaliação sobre as atividades desenvolvidas nas aulas de computação;
- Fechamento do Projeto e exposição das considerações finais do Projeto, onde serão apresentados os resultados para Equipe Pedagógica, professora de computação e o Público Alvo.
- Durante 03 aulas por mês no período vespertino








X


4.3 Avaliação

               É um grande desafio para a Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer” garantir oportunidades iguais para cada aluno atendendo sua diferença e desenvolver ao máximo sua potencialidade e sua inclusão social no grupo.
              Enfim, acredita-se que as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação junto ao trabalho pedagógico da coordenadora pedagógica na sala de computação e as professoras podem provocar modificações no desenvolvimento dos alunos com deficiências intelectuais e/ou múltiplas.
               Os procedimentos de avaliação do Projeto serão:
              - Observação do aluno pelo professor da turma e elaboração posterior de relatório – procedimento que implica no conhecimento do aluno e no foco sobre suas necessidades para a aprendizagem, assim como no registro escrito da história do aluno;
            - Encaminhamento de relatório para a coordenação pedagógica – o que possibilitará a reflexão, por parte da equipe multiprofissional, sobre as questões geradas e sobre as possíveis ações para o enfrentamento do problema;
            - Todo o processo de avaliação do aluno especial será vivido em parceria com o cenário educacional mais amplo – o que possibilita a reflexão dos envolvidos na participação e na construção da sociedade, bem como a formação de recursos humanos apropriados à criação de uma Inclusão Social.

4.4 Conclusão

              É preciso perceber que o computador não é o possuidor do conhecimento, mas uma ferramenta que permite ao aluno procurar informações e construir com seus recursos, vivenciando situações-problema que possibilitem tirar conclusões e construir novos conhecimentos.
              Disponibilizar a esses alunos novos recursos de acessibilidade, novos espaços, na verdade, uma nova sociedade, que as abranja em seus projetos e possibilidades, não constitui somente propiciar o crescimento e a auto-realização do aluno com deficiência, mas, especialmente é permitir a essa sociedade crescer, expandir-se, humanizar-se, por meio das riquezas de um maior e mais harmonioso convivência com as diferenças.
              É importante destacar que não existem receitas prontas para atender a cada necessidade educacional especial. A escola, além das direções compartilhadas, necessita procurar informações e guias que ampliem as possibilidades, para que todos os alunos encontrem um espaço adequado e acessível.


5 REFERÊNCIAS

BARANAUSKAS, C. Novas Tecnologias no Processo do Ensino- Aprendizagem. DCC/Nied/UNICAMP, São Paulo, SP, 1993.

BATTRO, A. M. A educação do excepcional talento. Fundación Bernardo A. Houssay, Buenos Aires, 1989.

JONASSEN, D. Uso Mindtools para desenvolver o pensamento crítico e Foster Collaborationin Escolas – Columbus, 1996.

MARÇAL, A. F. - monografia: A Informática na Educação: Uma Perspectiva Pedagógica.  Universidade do Sul de Santa Catarina – 1996.

MORAN, J. M e MASETTO, M. A. B. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica Papirus, São Paulo, 2000.

PIAGET, J. & INHELDER, B. Da lógica da criança à lógica do adolescente. Rio de
Janeiro: Zahar. 1976.

 
 
SITES COM ATIVIDADES LÚDICAS DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

SUGESTÃO QUE REPASSAREMOS AS PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL, ENSINO FUNDAMENTAL E EJA

- Como Construir Histórias em Quadrinhos com os alunos: http://www.educador.brasilescola.com/sugestoes-pais-professores/como-construir-historia-quadrinhos-com-os-alunos.htm



- Histórias em Quadrinhos Aventuras de uma Lata de Aço: http://www.lataco.com.br/zipzapzup/akilata/latacoakilatatrabalho4.html

- A construção de Histórias em Quadrinhos por alunos autistas: http://www.nce.ufrj.br/sbie2003/publicacoes/paper41.pdf

- Criando uma História em Quadrinhos com
Tangran: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=237

- Explorando o Jornal: - Formas de Utilizar o texto jornalístico em diferentes disciplinas: http://www.appai.org.br/Jornal_Educar/jornal35/interdisciplinaridade/jornal.asp


- Site para séries iniciais - produções de textos /histórias individuais e coletivas: http://www.divertudo.com.br/jogos.htm

- Site de alfabetização - Com som: www.kidleitura.com.br


ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO COMPUTADOR COM ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL, ENSINO FUNDAMENTAL E EJA

SITE COM ATIVIDADES DE ALFABETIZAÇÃO NO COMPUTADOR
Alfabetização: Exercícios e Atividades com as Letras do Alfabeto.

SITE CAÇA-PALAVRAS COM FIGURAS PARA IMPRIMIR
Caça Palavras Com Figuras Para Imprimir: Série de Caça Palavras com imagens direcionadas às pessoas interessadas em estimular seu raciocínio lógico. Ideal para crianças das séries iniciais do Ensino Fundamental.

CRUZADINHA COM FIGURAS PARA IMPRIMIR
Ideal para o ensino de novas palavras às crianças do pré-escolar. Pais e professores podem auxiliar o desenvolvimento dos pequenos com estas atividades gratuitas para imprimir. 

ALFABETIZAÇÃO ON-LINE
Exercícios Prontos Para Estimulo da Aprendizagem.
Forme as Palavras Preenchendo os Quadradinhos Conforme a Imagem.

DESENHOS QUADRICULADOS PARA COPIAR E COLORIR
As imagens são apresentadas como no formato ao lado, ou seja, com quadriculas que facilitarão na confecção do desenho, são mais de 200 imagens grátis para copiar e pintar.  Aprenda a desenhar com nosso Material Gratuito.