segunda-feira, 30 de maio de 2011

RELATÓRIO DO 2º ENCONTRO DO GRUPO DE APOIO - PDE/2009

RELATÓRIO DO 2º ENCONTRO DO GRUPO DE APOIO PDE/2009


Relatório de Atividades
Proponente: Vera Lúcia Pereira de Souza

   Título do evento: Educação Profissional para alunos com deficiência intelectual significativa

  Local de realização: NRE: Assis Chateaubriand; Município: Nova Aurora; Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer”

   Encontro nº: 02

   Data do Encontro: 08/09/2010

ETAPA 2

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

No dia 08/09/2010, aconteceu o segundo Encontro do Grupo de Apoio a Implementação do Projeto na Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer”, a professora PDE/09 Vera Lúcia, início a primeira atividade do Encontro, falando a respeito da pessoa com deficiência e sua caracterização, onde foram estudados os seguintes conceitos, conforme Pichorin (1994):
Deficiência: é qualquer dano ou anormalidade de estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica, decorrente de razões congênitas e/ou contraídas. Incapacidade: é qualquer ressalva ou falta (em decorrência de uma deficiência) de capacidade de desempenhar uma atividade da maneira considerada como normal, ou como tal classificada, para um ser humano.
Desvantagem: é conseqüência de uma deficiência ou de uma incapacidade que restringe e/ou impede a atuação de atividades que são normais ao ser humano em função de idade, sexo e fatores sociais e culturais.
Integração: procedimento que visa à inserção da pessoa com deficiência em todos os âmbitos da sociedade (político, econômico, social, cultural). Baseia-se no princípio da igualdade e construção da cidadania.
Inclusão: paradigma que constitui que as políticas, programas, serviços sociais e a própria sociedade devem admitir à pessoa com deficiência ingresso igualitária aos recursos disponíveis na comunidade, atendidas as suas particularidades, permitindo-lhes exercer o direito de participar da edificação social.
Equiparação de Oportunidades: é o processo mediante o qual o sistema geral da sociedade (meio físico e a cultura, a moradia e o transporte, os serviços sociais e de saúde, as oportunidades de educação e trabalho, a vida cultural e social, incluídas as instalações esportivas e de lazer) se torne acessíveis a todos. As medidas de equiparação de oportunidades advêm sobre as condições do meio físico e social, eliminando todos os empecilhos que se contraponham à igualdade e à eficaz participação das pessoas com deficiência, criando-se oportunidades para seu desenvolvimento biopsicossocial e pessoal.
Empregabilidade: capacidade profissional, disposição para aprender de contínuo e capacidade para empreender.
Reabilitação Profissional (novo conceito): Valoriza o livre-arbítrio e autonomia das pessoas com deficiência: tornam-se gestores de seu próprio processo e responsáveis de maneira expressiva pelo êxito do mesmo. Todo o grupo analisou os termos e também sua aplicabilidade no cotidiano escolar.
Na segunda atividade do Encontro foi feita uma Dinâmica intitulada Família de Pássaros, sendo que a mesma oportunizou uma maior aproximação do grupo, todos se envolveram na atividade. Foi um momento de descontração e reflexão sobre a troca de papéis, onde todos puderam analisar suas práticas pedagógicas ante o aluno com deficiência.
Na terceira atividade, os participantes foram separados em grupos e em seguida foi apresentado para os grupos o texto, onde apresenta orientações as instituições sobre como exercer o papel de facilitadores dos processos de reabilitação – Texto “Pessoa com deficiência: caracterização e formas de relacionamento”, Capítulo III do Livro: Pessoa com Deficiência: Aspectos teóricos e práticos. Fonte site: http://cac-php.unioeste.br/projetos/pee/arquivos/pes_com_defi_asp_teo_e_prat.pdf, após a leitura do texto os participantes se reuniram e responderam os seguintes questionamentos:
a) Com base nas informações citadas no Texto, pontue aspectos relevantes referentes aos paradigmas estudados.
b) Tendo como apoio os estudos até aqui realizados, bem como a legislação educacional vigorante e refletindo sobre o contexto escolar, de que forma a sua escola distingue e trabalha as diferenças?
Foi possível, a partir dessas discussões, perceber qual a relação da compreensão que perpassava na época e atualmente, a resistência dos diversos setores sociais para com as pessoas “anormais” ou com deficiência.
O resultado desta atividade foi positiva, tendo em vista o comprometimento e o interesse dos participantes do grupo em buscar conhecimento acerca do processo inclusão social.
No segundo encontro participaram 15 cursistas (professores e funcionários) da Escola de Educação Especial “Novo Amanhecer”.




Vera Lúcia Pereira de Souza
Professora PDE/2009

Postar um comentário