domingo, 30 de março de 2014

TRAJETÓRIA DA EAD

TRAJETÓRIA DA EAD

SOUZA, Vera Lúcia Pereira de.

              Em sua trajetória, a EaD retrata os vários momentos tecnológicos ao longo da história, por meio da incorporação da televisão aberta e a cabo, do telefone, da Internet e da comunicação digital como ferramentas tecnológicas do processo. As novas tecnologias têm um papel extraordinário não só como meio para distribuir as informações e os conhecimentos, mas especialmente como facilitadoras do intercâmbio necessário a qualquer processo educativo, sugerindo novos papéis para os alunos e para os professores, novos costumes e novos pontos de vista metodológicos. (CASSETTARI, 2001).
              O uso de novas tecnologias na metodologia de ensino-aprendizagem presencial e/ou virtual tem se apresentado como uma exigência e um desafio para as instituições de ensino superior. Em termos de cobrança, o uso de novas tecnologias vem se diferenciando como diferencial oferecido por instituições que já as aplicam.
              A utilização de recursos da informática pode enriquecer os espaços de aprendizagem, à medida que beneficia o intercâmbio entre o aluno e o computador, ou seja, cada estudante é um sujeito ativo, e através destes recursos pode conseguir conhecimentos e esclarecer suas dúvidas o mais breve possível. As atividades desenvolvidas em tal espaço buscam impulsionar o questionamento, a reflexão sobre as próprias ações e especialmente, a colaboração entre os agentes do processo de ensino-aprendizagem.
              Considerando-se que toda a tecnologia relacionada deve ser usada na educação visando à formação do pensamento crítico de estudantes e professores para a resolução de problemas, reconhece-se que a EaD serve-se de diversas mídias para a programação de aulas e transferências de material, elegendo a mídia apropriada de acordo com o tipo de aluno e infraestrutura disponível.
              Para Lisboa (2002), o ferramental tecnológico usado pela EaD pode ser classificado em dois grupos fundamentais: um para a geração de material didático e outro para interação entre participantes e informação/conhecimento, cada um deles subdividido em básicas e avançadas. Em função dos tipos de mídia de distribuição da informação educacional, o ferramental tecnológico pode ser classificado como: mídias síncronas (TV, rádio, chat, videoconferência) ou mídias assíncronas (texto, CD-ROM, áudio-tape, vídeo-tape, Internet, e-mail).
              O ferramental tecnológico deve ser utilizado pela metodologia do curso levando-se em conta as fronteiras individuais, distâncias espaciais e aspectos temporais, tecnológicos, e socioeconômicos; deve consentir que o aluno aprenda no seu contexto imediato, planeje no tempo e no espaço suas atividades de estudo e siga o seu ritmo de estudo (LISBOA, 2002).
              O uso de meios de comunicação ou mídias promove as comunicações: professor/aluno, aluno/aluno e aluno/instituição. As mídias são determinadas como suporte para informações e tem características específicas em relação à linguagem e objetivos. Ultimamente, várias mídias são usadas na EaD, cabendo destaque ao material impresso, vídeo, teleconferência, videoconferência e Internet dentre outras.





PRINCIPAIS MÍDIAS E TECNOLOGIAS UTILIZADAS EM EAD


              Segundo Moran, 2002, as principais mídias são:
- Material Impresso
Embora de todas as potencialidades trazidas pelo acesso on-line aos conteúdos, o material impresso permanece sendo a mídia mais acessível aos alunos. O material no formato impresso visa promover o procedimento de estudo dos alunos, uma vez que esse formato proporciona, entre outros benefícios, os seguintes:
- Maior facilidade de leitura (muitos ainda apresentam problema com a leitura na tela do computador);
- Possibilidade de pesquisar os conteúdos da semana ou unidade sem carecer de se conectar (muitos apresentam obstáculos de acesso ao computador e à internet);
- Possibilidade de estudar os conteúdos com mais tranquilidade, tecendo explanação na borda do material impresso e/ou fazendo comentários a parte para, depois, compartilhar e discutir no espaço virtual de aprendizagem Moodle;
- Possibilidade de consulta instantânea ao material de estudo.
- Conferência Web
A Conferência Web foi colocada atualmente e já é uma influente ferramenta de comunicação para uso pedagógico e administrativo.
A Videoconferência demanda uma baixa banda andante e contem recursos adicionais, tais como: bate-papo, compartilhamento de arquivos e tela, enquetes, assim por diante.
Os eventos mais habituais empregados por meio da Conferência Web são: reunião de tutores, apresentação de trabalhos dos alunos, aulas expositivas com interatividades, dentre outras.
- DVDs – Filmes
Os professores requerem frequentemente aos alunos a visualização de filmes comerciais com fins pedagógicos. Contudo, alguns títulos de filmes são mais difíceis de adquirir que outros.
Sendo assim, para que não haja perda aos alunos que estão afastados dos grandes centros de distribuição, fornecer filmes ao Polo é uma ação importantíssima.
- DVD – Gravações
O DVD é uma importante ferramenta na comunicação de vídeos planejados e gravados pelos autores das disciplinas. O acesso ao DVD é fundamental, pois mesmo que o vídeo esteja disponibilizado no ambiente Moodle, o aluno que não possui computador ou o seu sistema de internet tem problema de capacidade para fazer download (baixar arquivo) não será prejudicado, podendo assistir o vídeo em casa ou em outra localidade em que tenha acesso a uma televisão e um aparelho de DVD.
- CDs – Dados e Áudio
Visando dar maior acessibilidade aos alunos, os CDs destinam os diferentes usos. Enciclopédias, Dicionários, CD-ROM Interativos e CD de Áudio são produzidos para que o aluno tenha acesso aos conteúdos sem necessitar estar on-line.
- Imagens / Fotografias / Ilustração
Os materiais didáticos dos cursos em EaD compreendem o uso de diversas formas de imagens, fotografias e ilustrações, utilizadas de acordo com os objetivos didático-pedagógicos de cada disciplinas. Habitualmente, esses recursos são mais usados em disciplinas práticas, nas quais as imagens cooperam para maior concepção, assimilação e entendimento daquilo que está sendo estudado. Existi casos também em que os estudantes são convidados a produzirem fotografias e ilustrações para dividir e criar fóruns de discussões com os colegas no AVA. Este é o caso, por exemplo, de disciplinas dos cursos de Artes Visuais, nas quais os professores requerem que os alunos produzam (pintura, escultura, etc.), fotografem e disponibilizem no ambiente Moodle.
- Computadores e acesso à internet
O computador é a ferramenta e a internet é o recurso. Conectados, permitem o acesso aos cursos a alunos de diversos estados do Brasil, por meio do AVA (Plataforma Moodle). Excetuando-se as atividades presenciais na EaD, todas as outras atividades são cumpridas por mediação da rede mundial de computadores.
A partir de um terminal de computador conectado à internet, todos os participantes do AVA podem acessar os conteúdos, preencher relatório, discutir em fóruns, enviar tarefas, usar todos os recursos multimídias para construir conhecimento, colaborativamente, no Moodle, além de trocarem e compartilharem conhecimentos entre si.
Para atender aos alunos com deficiência no que diz respeito ao acesso/configurações a computador e a internet, os ambientes de Apoio Presencial (nas Escolas Estaduais) possuem laboratórios equipados com computadores e acesso à web para que esses estudantes possam acessar seus cursos e cumprir seus estudos e atividades.
- Scanners
Os scanners são usados pelos alunos para digitalizar documentos e obras a serem encaminhadas aos professores, por meio do AVA, para avaliação. O scanner é usado igualmente pelos tutores-presenciais para digitalizar as listas de presença de cada encontro realizado nos ambientes EaD e anexá-las na plataforma para conhecimento e acompanhamento dos professores-tutores, professores-supervisores e coordenadores de curso.
- Máquinas fotografias e filmadoras digitais
Várias disciplinas usam as riquezas e peculiaridades regionais para animar discussões no AVA Moodle. O registro é feito por câmeras digitais e até mesmo câmeras com baixa resolução, como a de celulares, já resolvem várias ações. Produções que não podem ser escaneadas, devido ao volume, podem ser fotografadas e expedidas.
A filmadora é uma importante ferramenta de registro e vem sendo usada com assiduidade, principalmente nas disciplinas práticas de alguns cursos. A possibilidade de o próprio aluno ver e analisar sua atuação docente registrada nos vídeos tem enriquecido as meditações sobre seu aprendizado.
Nota-se, consequentemente, a importância deste recurso para curso em EaD; contudo, vale ressaltar que alguns Polos não têm filmadoras e as atividades são desempenhadas com equipamentos pessoais de tutores-presenciais ou de alunos.
A filmadora igualmente é usada na Conferência Web, pois exceder as barreiras do webcam (zoom e mobilidade) e dá maior comodidade aos partícipes.
- Projetores - data show
Atividades como a Conferência Web e apresentação de filmes geram dificuldades quando visualizados em cada microcomputador na EaD. Deste modo, a projeção numa única grande tela gera melhor visualização e permiti a participação de maior número de alunos.
- Webcams e headsets (microfone e fone de ouvido acoplado)
A webcam é usada na EaD para transmissão de vídeo na Conferência Web. É ela que admiti uma maior ‘presencial idade’ dos participantes, uma vez que captura e envia a imagem dos presentes nas duas pontas: quem assiste e quem comunica.
O headset é uma ação recente, surgida devido à implantação da Conferência Web. Em função das limitações de banda passante, que compunge a EaD a usarem caixa amplificadoras, os alunos não conseguem participar com eficácia das Conferências Web. O headset impede o efeito de eco e melhora a propriedade de gravação de áudio.


EDUCADOR E O ALUNO NA EaD


            Como encarar a demanda de educar para as mídias, considerando nossa condição de país periférico, que importa um discurso tecnocrático e desconsidera uma expectativa "sociopolítica dos usos"? É Maria Luiza Belloni que apresenta esse tema, propondo-se discutir algumas compreensões que vinculam as novidades tecnológicas como um "constructo igualitário", como o "sócio construtivismo" e as "redes técnico-econômicas".
            Se vivermos cada vez mais dependentes das mídias para a construção de conhecimentos e valores, é imprescindível procurar outras articulações entre educação e comunicação para que o homem garanta seu espaço no meio ambiente.
            A educação está se modificando tanto em termos de fins sociais quanto no que diz respeito a táticas e modalidades, de maneira especial com o ingresso de meios técnicos e com a tendência a uma maior flexibilidade de ingresso, currículos e metodologias.
            Com as novas tecnologias de informação e comunicação, novos costumes estão se congregando a vida das pessoas, implicando novos produtos e serviços, novas formas de trabalho e novas capacidades profissionais.
            A necessidade de estudar neste mundo está induzindo à procura de escolhas educacionais, abrindo novos lugares para a educação à distância com novas tecnologias.
            Para operar na EaD, não satisfaz o professor ser competente no seu campo de conhecimento: ele necessita, além disso, ter fluência tecnológica e dominar a arte de trabalhar em conjunto. A relação entre professores (gestor e tutor) e equipe técnica é primordial. Os papéis de cada um necessitam ser bem determinados.
            Só é possível analisar o uso de uma ferramenta em função da matéria a ser trabalhada e das finalidades de cada trabalho concreto. É preciso manter este foco na abordagem das políticas educativas e das práticas pedagógicas.
            A escola precisa estimular os alunos a desenvolverem a consciência da própria capacidade de aprender e modificar o mundo.
            A educação deve ter como preferência formar o cidadão e, para isso, necessita estar afinada com as novas tendências manifestadas na sociedade e estas sugerem a precisão de um desenvolvimento geral adequado, a capacidade de manejar conceitos, o desenvolvimento do pensamento abstrato e de uma aprendizagem continuada por meio de processos de formação. Deste modo, a escola necessita formar o leitor que interroga, que permaneça conectado com o mundo e disposto a aprender muito e sempre. (SAVIANI, 1994).

SUGESTÕES DE LEITURAS:

É muito interessante, o livro “Tecnologia educacional: uma visão política”, de Arnaldo Niskier, da editora Vozes, 1993. Disponível em: <http://books.google.com.br/books/about/Filosofia_da_educa%C3%A7%C3%A3o.html?hl=pt-BR&id=GsoTA9rYmIgC>.

Artigo: “Visão analítica da informática na educação no Brasil: questão da formação do professor”, link: <http://www.geogebra.im-uff.mat.br/biblioteca/valente.html>.















REFERÊNCIAS


BELLONI, M. L.A integração das tecnologias de informação e comunicação aos processos educacionais. In: Tecnologias educacionais e educação a distância: avaliando políticas e práticas. Rio de Janeiro: Quarteto, 2ª Ed. 2003.


CASSETTARI, I.S. Modelo de Análise Qualitativa Aplicado à Avaliação de Programas de Ensino Via Internet. 2001. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção)- Universidade Federal de Santa Catarina.


LISBOA. P. Educação à Distância: Abordagens teórico-metodológicas para um modelo sistêmico. 2002. Disponível em


MORAN, J. M. Ensino e Aprendizagem inovadores com tecnologias. 2002. Disponível em: <http://www.eca.usp.br/prof/moran/inov.htm>.  Acesso em: 21 mai. 2013.


SAVIANI, Demerval. Desafios para a constrão coletiva da ação supervisora: Um, a abordagem histórica.rie Idéias, nº 24,o Paulo, FDE, 1994.


Postar um comentário